sábado, 24 de outubro de 2009

Filhos Brilhantes Alunos Fascinante



Em Filhos brilhantes, alunos fascinantes (ficção), Augusto Cury fala com os próprios jovens sobre suas mentes, seus conflitos e desafios. Em cada capítulo há histórias de jovens e adultos feridos pela vida, rejeitados socialmente, desacreditados, portadores de conflitos, mas que conseguiram encontrar força na fragilidade e dignidade na dor. Muitos jovens não têm proteção emocional. Alguns são derrotados por uma área do corpo que rejeitam, outros pelas roupas que não caem bem e ainda por ciúmes, medo da perda, timidez, provas escolares, decepções. Neste livro, Augusto Cury faz com que percebamos que os filhos brilhantes e os alunos fascinantes não são aqueles que são sempre bem comportados, os que não falham, não choram ou não tropeçam. Mas, aqueles que aprendem a desenvolver a consciência crítica, decidir seus caminhos, trabalhar seus erros, construir tolerância, são os que constroem projetos de vida e lutam pela concretização deles. E, acima de tudo, são os que dão uma nova chance para si mesmo e para os outros quando fracassam.

Um comentário:

  1. Muito obrigada pela visita e por suas palavras tão carinhosas. Escrevo com amor, pois amo o Brasil e seu povo e toda noss cultura, mesmo diante de tantas dificuldades.
    Volte outras vezes, FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... terá sempre uma história para contar.
    Saudações Florestais !
    Silvana Nunes.'.

    ResponderExcluir